Igreja celebra Solenidade de Todos os Santos.

"Os santos estão próximos a nós, aliás, são os nossos verdadeiros irmãos e irmãs", disse Francisco, nesta quinta-feira (1º/11), Solenidade de Todos os Santos que será celebrada pela Igreja no Brasil, no próximo domingo.

O Papa nos convidou a fazer as seguintes perguntas: "De que lado estamos? Do lado céu ou da terra? Vivemos para o Senhor ou para nós mesmos, para a felicidade eterna ou para alguma satisfação imediata? Perguntemo-nos: queremos realmente a santidade? Ou nos contentamos em ser cristãos sem infâmia e sem louvores, que acreditam em Deus e estimam os outros sem exagerar?" (Vatican News)
 
 
Pe. Gilberto Bertolini, Delegado Provincial - Del. N. Sra. Aparecida -  também nos deixa uma mensagem para esse dia:
 
Estimados irmãos.

 

Chegamos ao mês de novembro. Iniciamos o mês com a solenidade de todos os santos, no primeiro Domingo. Gostaria de falar justamente sobre este tema tão querido ao nosso santo Fundador. Ele desejou muito a santidade. Fez dela um projeto para toda a sua vida. Ordenou seu ministério para este fim, pois via na santidade único meio de ajudar o mundo, ajudar a salvar as almas, levando-as para Cristo.

Parece que este tema as vezes passa despercebido para alguns de nós. Vamos vivendo uma vida sem muito entusiasmo, esforço pessoal, espiritualidade. Assim, tornamo-nos superficiais no que fazemos e as pessoas que estão conosco na missão, logo percebem isso e acabam se afastando de nós. Não somos testemunhas concretas no amor e da misericórdia de Deus.

Como seria bonito se todos nós tivéssemos como projeto de vida, pessoal e comunitário, a busca da santidade; que ela fosse nosso único interesse. Precisamos resgatar este valor do nosso fundador e fazê-lo nosso, onde como irmãos buscamos e ajudamo-nos no caminho da santidade.

Trago aqui as palavras de São João Calábria. Deixemos que elas ecoem uma vez mais em nosso coração e tornem-se vida na nossa vida:

"A extrema necessidade da hora atual é a santidade. A santidade! Todo o resto é ilusão e o inimigo se ri dos nossos planos e dos nossos estratagemas separados da santidade.

Se não chegarmos a nos santificar, todo o mundo e todas as coisas grandes desta terra valem menos de um punhado de moscas.

É preciso frear a hora do demônio e podemos freá-lo com uma grande fé, com uma grande generosidade, com um estudo prático do santo Evangelho, suportando em paz os sofrimentos físicos e morais.

Recai sobre nós uma grande obrigação: que nos santifiquemos e, santificando-nos a nós mesmos santificaremos as almas que a divina Providência aproximar de nós, nossa cidade, nossa pátria, o mundo inteiro.

Como eu peço e suplico ao Espírito Santo que, por favor, conceda a estas minhas pobres palavras tanta eficácia, que produzam em vós abundantes frutos de graça e de santidade!"

Que o exemplo de São João Calábria e de todos os santos possam nos inspirar e animar nesta caminhada.

Pe. Gilberto Bertolini.