Beatificação de Calábria - 30 ANOS

Mediante uma vida totalmente entregue a Deus Pai Providente e aos mais necessitados, Padre Calábria chega aos Altares não somente pelas suas obras, mas pela sua fé, confiança e abandono filial a Divina Providência. 

Antes mesmo de ser declarado e inscrito no livro dos "Bem-Aventurados", a sua vida já exalava o perfume de Santidade entre as pessoas, revelando-se ainda virtudes vivas e atuais, conforme o Evangelho de Jesus Bendito "Sejamos evangelhos vivos".

 

Outro aspecto notório de sua vida é a caridade, da qual buscava  difundir uma mensagem de amor, configurada integralmente na vivência radical do Evangelho. Seu empenho espiritual e caritativo é sondar e transformar com sensibilidade evangélica, os males e os perigos do mundo atual, em um amor sem fronteiras, de um Deus que é Pai e Providente, isto é, que conforta, ama e cuida.

 

Sua generosidade, sorriso, delicadeza, cuidado e consolo junto aos doentes e para com as almas era algo extraordinário, que abria os corações humanos a mais terna graça de Deus. Em meio às provações experimentadas em seu ser o seu sonho ia se tornando uma genuína realidade, pois creu na vontade de Deus. Eis agora o Pe. Calábria! Eis o servo da caridade, que fizera seu o lema de São Paulo: "Fazer-se tudo para todos, a fim de conquistar todos para Cristo"!

 

Então, no dia 17 de abril de 1988, sinos anunciam e regozijam para toda a igreja, que chegou em Verona/Itália o grande dia de sua Beatificação "O grande momento da celebração foi aquele em que o Bispo de Verona, D. José Amari, dirigindo-se ao Papa pede-lhe humildemente de inscrever no número do Bem-Aventurados os Veneráveis servos de Deus José Nascimbeni e João Calábria".

 

Na homilia o Papa João Paulo II anuncia "O Padre João Calábria é um testemunho de caridade com os pobres, de zelo pelas almas, de amor intenso por Deus".

 

 

 

Referência REVISTA A PONTE, 1988.