Loading color scheme

Paróquia Nossa Senhora das Graças, Feira de Santana Bahia

Paróquias

A presença do carisma calabriano em terras baianas se faz também através da Paróquia N. Sra das Graças. Anunciar o Reino de Deus por meio de diversas iniciativas, pastorais, movimentos, grupos é a sua missão. Deus seja louvado pela Providência que aí se manifesta. Publicação do Projeto Buscai e Anunciai.

Paróquia Nossa Senhora das Graças, Feira de Santana – Bahia

Padre Victor Zacarias Luaco, PSDP
Pároco

 I. Quem é o Pároco - Seu breve histórico


Sou Padre Victor Zacarias Luaco, 46 anos, nacionalidade angolana, religioso na Congregação Pobres Servos da Divina Providência desde 1998. Minha formação acadêmica foi realizada entre Angola e Itália. Graduado em Filosofia pelo Seminário Maior do Coração de Jesus, Luanda - Angola; em Teologia pelo Studio Teológico San Zeno Verona, Universidade Triveneta, Itália; e Counselor Edi.S.I. em Ciências Humanas para Vida Consagrada e Comunidades Educativas pelo Instituto Edith Stein, Genova - Itália. Mestre em Teologia, com especialização em Teologia Fundamental pela Pontifícia Universidade Lateranense, Roma - Itália.

A experiência comunitária e missionária levou-me por várias comunidades da Obra em alguns países como Angola, Itália, Kenya e atualmente no Brasil onde estou desde dia 24 de abril de 2017, atuando na Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Feira Santana, antes como vigário paroquial e desde 17 de março de 2019 como Pároco.

II. Breve histórico da Paróquia

O território da Paróquia Nossa Senhora das Graças, anteriormente era uma área pastoral das Paróquias Senhor dos Passos e São José das Itapororocas. A primeira capela que serviu como matriz provisória da futura paróquia foi erguida em 1969 e intitulada Nossa Senhora Aparecida, pertencente à Congregação Pobres Servas do Preciosíssimo Sangue (Cenáculo da Caridade), fundada pelo Venerável Giovanni Ciresola, Sacerdote Veronese e filho espiritual de São João Calábria. As irmãs do Cenáculo da Caridade chegaram ao Brasil logo após o Concilio Vaticano II, em 1965, abrindo-se aos desafios missionários numa grande atividade evangelizadora, através da catequese e da educação.

A Paróquia Nossa Senhora das Graças foi erguida aos 2 de janeiro de 1977 pelo então bispo diocesano de Feira de Santana, Dom Silvério Albuquerque, e teve como primeiro pároco o Pe. Francisco Magalhães Dalto.

A presença dos Pobres Servos da Divina Providência nesta paróquia, num primeiro momento, se limitou na colaboração pastoral com os padres diocesanos que nela trabalhavam e com atividade do Centro de Orientação Vocacional – COV. A assistência efetiva e direta começa com a nomeação no ofício de administrador paroquial do Pe. Antônio Gasparini, aos 4 de novembro de 1985, pelo Dom Silvério Albuquerque. Desde essa data muitos Pobres Servos se dedicaram com zelo apostólico na Evangelização e no pastoreio da porção do Povo de Deus que vive neste território.

III. Trabalhos pastorais, movimentos desenvolvidos

A Paróquia atualmente é constituída por seis comunidades: Comunidade matriz Nossa Senhora das Graças, sede no bairro Cidade Nova; Comunidade Nossa Senhora Aparecia (Cidade Nova); Comunidade Sagrada Família (Parque Ipê); Comunidade Imaculada Conceição (Conjunto Renascer); Comunidade São João Calábria (Parque Sabiá) e Comunidade Bom Pastor (Adelba). É de ressaltar a presença da vida consagrada através das congregações: Pobres Servos (COV Mãe de Deus), Pobres Servas da Divina Providência, Irmãs do Cenáculo da Caridade e a Comunidade Regina Pacis. Louvável são a colaboração pastoral e o testemunho de vida cristã que essas comunidades realizam, contribuindo grandemente para a missão da Igreja.

Paróquia Nossa Senhora das Graças
Paróquia Nossa Senhora das Graças

Se pode constatar e afirmar que a missão evangelizadora realizada, e que continua sendo feita, tem tido resposta positiva e frutos palpáveis. A confirmação disto tudo é a presença de vários movimentos e pastorais, organizados em diversos setores, visando a construção da unidade através das suas atividades afins: Setor Evangelização (Pastoral Catequética, Pastoral do Batismo, Pastoral do Dízimo, Pastoral Familiar, Encontro de Casais com Cristo – ECC, Pastoral da Comunicação – PASCOM); Setor Liturgia (Pastoral Litúrgica, Grupo da Acolhida, Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística – MECE, Ministros Extraordinários da Palavra de Deus, Grupo dos Coroinhas); Setor Reflexão e Espiritualidade (Pastoral da Escuta, Apostolado da Oração, Grupo de Oração Rios de Água Viva – GORAV/RCC, Legião de Maria, Movimento Sacerdotal Mariano, Terço dos Homens, Movimento Mãe Rainha Três Vezes Admirável, Oficinas de Oração, Grupos Calabrianos); Setor Juventude (Jovens do COV, Grupo Renascer, Movimento Jovem Força e Determinação – MJFD, Equipe Vocacional Paroquial – EVP, Jovens da Com. Regina Pacis, Movimento Jovem Eucarístico – MEJ); Setor Social e Solidário (Instituto Antônio Gasparini – IAG, Pastoral da Criança, Pastoral dos Idosos e Enfermos); os Conselhos Pastoral Paroquial (CPP), Administrativo e Econômico (CAE) e Missionário Paroquial (COMIPA).

É uma paróquia ativa que procura caminhar e viver a própria ação missionária em comunhão com as orientações do Plano Evangelizador da Arquidiocese, e também segundo as Diretrizes da Igreja no Brasil. Com certeza não se podem esconder as dificuldades existentes, muitas vezes frutos das fragilidades humanas, quando se fecham à graça de Deus, tornando, por conseguinte árduo o caminho da transformação que propõe o encontro com a Pessoa de Jesus, mas, ao mesmo tempo, podemos testemunhar com alegria o agir de Deus, pois está no meio de nós.

Na certeza de que é o próprio Deus que age através da disponibilidade de tantos leigos, consagrados e ministros ordenados, desde o ano de 2016, e seguir-se-á até 2020, a paróquia tem vivenciado a experiência das Santas Missões Populares, um caminho de reanimação missionária em nível arquidiocesano. Tem sido um tempo de graça que está levando os paroquianos a terem consciência da própria identidade cristã, redescobrindo a essência missionária inerente ao Batismo. A título de exemplo, de 17 a 26 de maio de 2019, realizamos uma Grande Semana Missionária, na qual visitamos todas as casas do território paroquial independentemente da opção religiosa de seus moradores. Tivemos momentos fortes de retiros espirituais. Dialogamos com instituições, tais como, Prefeitura, Organizações de Bairro, Universidades e profissionais de saúde, e com eles organizamos ações sociais periódicas, sobretudo no âmbito sanitário, pois acreditamos que o Evangelho tem a força de transformar as estruturas sociais para garantir vida digna a todos. Como fruto desta Semana Missionária vamos continuar os vários grupos formados a partir desta experiência, que se reúnem regularmente nas praças e nas casas rezando juntos, meditando a Palavra de Deus, fortificando assim a própria fé.

Quanto à pastoral ordinária, a Paróquia Nossa Senhoras das Graças é comprometida com várias ações que mantem viva a sua vida de fé. Temos um processo em ato para adequar a nossa catequese às indicações dum verdadeiro caminho de Iniciação à Vida Cristã, passando de uma catequese que transmite noções sobre a fé à uma catequese integrada na vida da comunidade, na qual se experimenta a vivência de fé (anúncio, celebração e testemunho). O desafio que nos colocamos, como paróquia, é de orientar a nossa ação pastoral tentando conquistar o objetivo de sermos uma comunidade que em missão anuncia e testemunha com a caridade. E é frequentemente nas nossas comunidades a leitura orante da Palavra de Deus em pequenos grupos que se formaram depois, durante, este tempo das Santas Missões Populares. O Conselho Missionário Paroquial (COMIPA) institui a escola da Fé com a finalidade de dar possibilidades as lideranças de pastoral, movimentos e comunidades aprofundar os temas inerente à vida de Fé, propondo estudos dos documentos da Igreja e reflexões para um conhecimento mais amplo.

Para além do Pároco, a paróquia conta com o trabalho e a dedicação dos Padres: Pe. Lino Aguiar (vigário paroquial), Pe. Jardel de Oliveira (vigário) e do Diácono Permanente Carlos Branco.

IV. Mensagem ao Povo de Deus

Se analisarmos o tempo e o contexto em que vivemos podemos perceber as contradições bastante evidentes. A ciência e a tecnologia estão fazendo grandes avanços em todos os aspectos da vida, fornecendo à humanidade tudo o que é necessário para tornar nosso planeta um lugar maravilhoso para todos nós. Mas, nem sempre esta evolução é para realização plena das pessoas. Continuam, no entanto, situações trágicas de violência, pobreza e exclusão tirando a dignidade de tantos dos nossos irmãos e irmãs. As situações adversas à dignidade humana, devem-se em grande parte às decisões e ações também humanas, que muitas vezes, movidos pelo egoísmo colocam em primeiro lugar os interesses particulares. Diante deste contexto a Igreja é chamada a ser sinal e promotora de esperança, apresentando Jesus como nos é revelado pelos Evangelhos. Ele é o único que pode transformar a realidade e sobretudo os corações de homens e mulheres, dando-lhes a possibilidade de vida plena e garantindo-lhes a salvação que Ele trouxe. O anúncio do Evangelho é a missão essencial da Igreja. Cada batizado deve tomar consciência desta missão e ser protagonista e sinal de esperança. É de lembrar que o anúncio deve ser acompanhado pelo testemunho de vida. E isto requer a conversão permanente, fazendo da própria vida “um evangelho vivo”. Assim sendo, convido a cada um e a cada uma, a ser construtor(a) da esperança que não pode ser conquistada através de se possuir algo ou coisas, mas, dando possibilidade a todos de encontrar Jesus, o único Salvador que nos revela a verdadeira humanidade e nos eleva à dignidade de sermos filhos prediletos de Deus, desta forma participando da sua divindade e ao mesmo tempo vivendo na fraternidade com todos.

 

Paróquia Nossa Senhora das Graças
Paróquia Nossa Senhora das Graças
LUACO, Padre Victor Zacarias. Revista A Ponte, Ed. Abr/Mai/Jun 2020. P. 23-27
Clique aqui para acessar a Revista