Loading color scheme

Liturgia: Santa Missa

Liturgia

Partindo do diálogo inicial sobre Liturgia, queremos adentrar cada vez mais em pontos específicos da Liturgia – Eucaristia. Mantendo como fonte de reflexão os Documentos da Igreja e as várias catequeses do Papa Francisco acerca da Santa Missa, ministradas nos anos de 2017/2018. Para não ficarmos em interpretações pessoais e achismos litúrgicos.

O Papa Francisco afirma uma realidade, que muitas vezes, quem tem a graça de participar da Santa Missa diária pode deixar despercebida: “se não podemos celebrar a Eucaristia, não podemos viver, a nossa vida cristã morreria”[1]. O Cristão Católico, que verdadeiramente, assim, se considera, tem na Eucaristia o ápice do encontro com Cristo; por isso, não a pode celebrar de qualquer jeito ou forma, desmerecendo seus sinais e símbolos, palavras e ações, canto e música... quebrando com a unidade da Igreja, que é maior do que minha individualidade. O Papa prossegue, interrogando-nos “acerca do que significa para cada um de nós participar no Sacrifício da Missa e aproximarmo-nos da Mesa do Senhor. Estamos à procura daquela nascente da qual ‘jorra água viva’ para a vida eterna?, que torna a nossa vida um sacrifício espiritual de louvor e de agradecimento e faz de nós um só corpo com Cristo? É este o sentido mais profundo da sagrada Eucaristia, que significa ‘agradecimento’: agradecimento a Deus Pai, Filho e Espírito Santo que nos abrange e nos transforma na sua comunhão de amor.”[2]

A Eucaristia, nas palavras do Papa, “é um acontecimento maravilhoso no qual Jesus Cristo, nossa vida, se faz presente. Participar na Missa ‘é viver outra vez a paixão e a morte redentora do Senhor. É uma teofania: o Senhor torna-se presente no altar para ser oferecido ao Pai pela salvação do mundo’ (Homilia, Santa Marta, 10 de fevereiro de 2014). O Senhor está ali conosco, presente. Muitas vezes nós vamos ali, olhamos para as coisas, falamos entre nós enquanto o sacerdote celebra a Eucaristia... e não celebramos ao lado d’Ele. Mas é o Senhor! Se hoje viesse aqui o Presidente da República ou qualquer pessoa muito importante do mundo, certamente todos estaríamos perto dele, e gostaríamos de o saudar. Mas repara: quando tu vais à missa, o Senhor está lá! E tu distrais-te. É o Senhor! Devemos pensar nisto.”[3] O que estas palavras do Santo Padre repercutem em nossa vida?

A Liturgia, segundo o Cardeal Robert Sarah, “é um momento em que Deus deseja estar, por amor, em profunda união com os homens. Se vivemos na verdade esses instantes sagrados, podemos encontrar Deus. É preciso não cair na armadilha de reduzir a liturgia a um simples lugar de convívio fraterno. Na vida, há outros lugares para se regozijar juntamente. A missa não é um espaço em que os homens se encontram num fútil espírito de festa. A liturgia é uma grande porta que se abre para Deus e que nos permite sair simbolicamente de entre os muros deste mundo. É preciso considerar a santa missa com dignidade, beleza e respeito.”[4]

A Liturgia, “serviço da parte do povo e em favor do povo”, (Catecismo da Igreja Católica, n. 1069) tem na Eucaristia sua plenitude.

Importância e Dignidade da Celebração Eucarística

O significado das palavras ‘Importância’ e ‘Dignidade’ atreladas a Celebração Eucarística falam muito mais do que aquilo que está escrito nos verbetes dos dicionários; não é simplesmente algo: relevante, necessário, superior, ou uma posição de destaque, respeito, honra, nobreza, mérito, prestígio em comparação a. É tudo isso, e muito mais, pois estamos falando da ‘Importância e Dignidade da Celebração Eucarística’. Não é brincadeira e não pode ser qualquer coisa, muito menos mera celebração semanal, diária ou quando tenho tempo. Estamos falando de Nosso Senhor Jesus Cristo que transubstancia no pão e no vinho; como alimento e remédio, não prêmio e mérito dos fortes. Jesus se faz presente no hoje de nossa história.

A Instrução Geral do Missal Romano, afirma que “a celebração da Missa, como ação de Cristo e do povo de Deus hierarquicamente ordenado, é o centro de toda a vida cristã, tanto para a Igreja universal como local e também para cada um dos fiéis. Pois nela se encontra tanto o ápice da ação pela qual Deus santifica o mundo em Cristo, como o do culto que os homens oferecem ao Pai, adorando-o pelo Cristo, Filho de Deus. Além disso, nela são de tal modo relembrados, no decorrer do ano, os mistérios da redenção, que eles se tornam de certo modo presentes. As demais ações sagradas e todas as atividades da vida cristã a ela estão ligadas, dela decorrendo ou a ela sendo ordenadas.” (IGMR, n. 1).

Os ministros e fiéis que participam da Santa Missa devem cada um, conforme seus ministérios, celebrar com toda atenção, demonstrando a importância que este momento tem para suas vidas, comunidade, Igreja e mundo; colhendo, assim, os frutos deste Mistério. Para que isso ocorra, é necessário levar em conta a natureza e as circunstâncias de cada assembleia e que toda a celebração esteja disposta do modo que leve os fiéis a participação consciente, ativa e plena do corpo e do espírito, animados pelo fervor da fé, esperança e caridade (cf. IGMR, n. 3). Mesmo que aconteça, por situações adversas que não devem tornar-se regra, da não presença de fiéis e de sua participação ativa, “a celebração eucarística conserva sempre sua eficácia e dignidade, uma vez que que é ação de Cristo e da Igreja, na qual o sacerdote age sempre pela salvação do povo” (IGMR, n. 4).

Eucaristia é “fonte e ápice de toda a vida cristã” (CIC, n. 1324)

Eucaristia é ação de graças a Deus (CIC, n. 1328)

Nomes da Eucaristia

  • Sacramento dos Sacramentos (CIC, 1169)
  • Assembleia eucarística (CIC, 1329)
  • Ceia do senhor (CIC, 1329)
  • Fração do pão (CIC, 1329)
  • Memorial da Paixão e da Ressurreição do Senhor (CIC, 1330)
  • Santa e Divina Liturgia (CIC, 1330)
  • Santo Sacrifício (CIC, 1330)
  • Santíssimo Sacramento (CIC, 1330)
  • Comunhão (CIC, 1331)
  • Santa Missa (CIC, 1332)
  • Sacrifício de louvor (CIC, 2643)
  • Pão cotidiano (CIC, 2837)

Efeitos da Eucaristia

  • Comungar o mistério da comunhão da Trindade (CIC, 950)
  • Transformar o homem por Cristo (CIC, 1074)
  • Alimento espiritual (CIC, 1275)
  • Participar do sacrifício de Cristo (CIC, 1322)
  • União com a liturgia celeste (CIC, 1370)
  • União com Cristo (CIC, 1391)
  • Aumento da graça recebida no Batismo (CIC, 1392)
  • Crescimento da vida cristã (CIC, 1392)
  • Purificar e afastar do pecado (CIC, 1393-1395)
  • Constituir a comunidade dos que creem (CIC, 1396)
  • Compromisso com os pobres (CIC, 1397)
  • União dos cristãos (CIC, 1398)
  • Penhor da vida futura (CIC, 1402-1425)
  • Fonte de conversão e de penitência (CIC, 1436)

Identidade da Eucaristia

  • Memorial do sacrifício de Cristo (CIC, 611, 1337, 1362-1372)
  • Fonte de caridade (CIC, 864)
  • Comunhão do corpo e do sangue do Senhor (CIC, 1097)
  • Sacramento da Iniciação Cristã (CIC, 1212, 1533)
  • Presença de Cristo (CIC, 1357)
  • Ação de graças e louvor ao Pai (CIC, 1358-1361)
  • Sacramento da comunhão (CIC, 1382)
  • Presença do reino futuro (CIC, 1405, 2861)
  • Memorial da nova aliança (CIC, 1621)
  • Sacramento da redenção (CIC, 1846)
  • Mistério da ação de Cristo (CIC, 2718)

“A Eucaristia é a devoção característica da nossa Obra: Jesus vivo em nosso meio, que mora nos nossos sacrários, que nos convida a Si para consolar-nos e santificar-nos, que nos promete a vida eterna. O que poderíamos querer mais e melhor do que isto? Portanto, para nós sacerdotes, a celebração da Santa Missa e, para vocês irmãos, a Santa Comunhão, sejam o centro da nossa vida e do nosso dia.” (CARTA LII, Santos Exercícios espirituais, 1947 - São João Calábria) .

Tenho visto a beleza, a importância e a dignidade da Eucaristia? Conhecendo, como me preparo para receber Jesus Eucarístico? Qual a importância que dou para esse momento? Como que a celebro?

 

[1] FRANCISCO, Papa. Audiência Geral, 8 de nov. de 2017. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/audiences/2017/documents/papa-francesco_20171108_udienza-generale.html. Acesso em: 11 dez. 2019.

[2] Ibidem.

[3] Ibidem.

[4] SARAH, Robert; DIAT, Nicolas. Deus ou nada: entrevista sobre a fé. São Paulo: Edições Fons Sapientiae, 2016. p. 157.

 

SURSINA, Rafael Pedro. Liturgia: Santa Missa. Revista A Ponte, Porto Alegre, vol 2, p. 37 - 40, abril/maio/junho, 2020.