Mensagem Pascal do Casante

Diretamente da Casa Mãe, Itália, Pe. Miguel Tofful, nos deixa uma mensagem e vídeo para esta Páscoa,
confira!
 
 
Páscoa é a alegria de dizer ao mundo: 
"Eu vi o Senhor".
 
Caríssimos irmãos e irmãs da Família Calabriana,
 
a paz o amor e a alegria de Jesus ressuscitado esteja sempre nos nossos corações! 
 
Dirijo a todos vocês a minha saudação por ocasião da Santa Páscoa, com o desejo que possamos fazer a experiência de Cristo ressuscitado, vertente de esperança e de alegria para toda a humanidade.
Condivido com vocês uma breve reflexão que sinto estar em sintonia com o caminho que estamos vivendo ao interno da Obra, sobre a importância de um testemunho alegre, profético e crível para o mundo do nosso tempo.
A experiência do Cristo ressuscitado muda a nossa vida e enche o nosso coração de alegria e de amor. Nos torna mais humanos e nos dá uma força extraordinária para anunciar a alegria da Páscoa a todos que encontramos em nosso caminho.
Deixemo-nos ajudar pela experiência da Palavra de Deus e pela experiência de Maria Madalena, que leva a mensagem da ressurreição de Jesus aos Apóstolos após o encontro com o Ressuscitado: "Eu vi o Senhor!" (Jo 20,1-18)
No primeiro dia da semana, Maria Madalena, é protagonista de um encontro extraordinário que choca a sua vida. Procurava o Senhor morto no sepulcro e se encontra com Jesus vivo e ressuscitado. Não foi capaz de o reconhecer imediatamente, trocando-o pelo jardineiro, mas na sua tenaz simplicidade continuou a procurar até se sentir chamada pelo nome: "Maria!"
Jesus a chama pelo nome e ela se sente reconhecida e amada por Aquele que deu a vida por ela. A transformação da vida que muda a existência de todo homem e mulher começa com um chamado pelo nome, com o reconhecimento da dignidade de cada um que nós temos sobre a terá. Os olhos de Madalena se abrem à visão do amado, o seu olhar se ilumina e se torna, segundo a expressão dos Padres da Igreja, "Apóstola dos Apóstolos", portadora da nova e maior das experiências: "Eu vi o Senhor!"
Ver o Senhor, ver Deus, é o desejo mais profundo e inato do coração humano. Cada ser humano possui, no profundo de sua alma, o desejo de ver Deus, de contemplar Deus, porque Deus nos criou à sua imagem e semelhança. A nossa tarefa e a nossa missão, como cristãos e como Família Calabriana, é de fazer a experiência do Ressuscitado e de fazê-lo conhecer, fazendo nosso o grito sempre atual do Pe. Calábria: "almas, almas, almas!"
 
Frequentemente penso e me pergunto como as pessoas podem acolher aquilo que nós, na profundeza da nossa fé, vivemos e experimentamos da ressurreição de Cristo. Às vezes parecem perguntar: Como me demonstras que tens visto o Senhor? O que significa viver como ressuscitados? Como manifestar isto no quotidiano da tua vida?
O mesmo acontece com o anúncio do nosso carisma, que proclama ao mundo que Deus é Pai, nos ama e cuida de cada criatura.
Seria um erro narra-lo somente com palavras, com belos discursos, com conselhos superficiais, que não convencem ninguém, ou pior, pensando que "somos bons".
Podemos narrar este mistério antes de mais nada e sobretudo com atitudes concretas, que desabrocham de um encontro, de uma luz especial e uma energia superior, que vem da experiência de Cristo ressuscitado e do carisma que mudam a vida e o modo de anunciar.
 "Eu vi o Senhor!" Toquei com mão a sua presença, me senti chamado pelo nome, encontrei a minha identidade com filho de Deus e quisera que cada pessoa sobre a terá pudesse encontrar a sua identidade, a própria dignidade e que ninguém fosse marginalizado e segregado por causa da pobreza, da doença, da fragilidade o por diversas distinções e discriminações humanas que infelizmente com frequência acontecem.
O desafio da Igreja e da Obra é o mesmo: Ver Jesus e reconhece-lo como Senhor nos acontecimentos ordinários de nossas vidas, do humano e do eclesial. Ver os sinais de Deus e mostrar aos irmãos e às irmãs do nosso tempo que Deus é visível e perceptível, anunciando aquilo que temos vivido, tocado e contemplado com os nossos olhos (cf. Jo 1,1-3).
O convite desta Páscoa, irmãos e irmãs, é aquele de tornarmo-nos conscientes da experiência que muda a vida e nos impulsiona a viver com alegria o testemunho do amor que vence o mundo.
Nós, como Família Calabriana, temos recebido um carisma particular para os tempos atuais, somos chamados a viver e a comunicar esta experiência que plasma a nossa vida.
Confiemo-nos à intercessão de Santa Maria Madalena e de São João Calábria, para que nos ajudem a viver a mesma experiência que eles viveram. Na hora do pranto e do abandono, nas diversas situações da vida, que possamos também nós escutar Jesus ressuscitado que nos chama por nome, para irmos depois, com o coração cheio de alegria, a anunciar: "Eu vi o Senhor!"
 
Desejo a todos uma Boa e Santa Páscoa! Rezem por mim, eu vos lembro na minha oração.
 
Fraternamente,
Pe. Miguel Tofful