Construção de um social com vínculo

formacao_permanente_no abrigo
Formação Permanente no Abrigo João Paulo II

O Abrigo João Paulo II - IPSDP, nos dias 9 e 10 de junho realizou mais um encontro de formação continuada para os pais sociais, educadores sociais, equipe técnica e administrativa com a temática ?A construção do vínculo ? possibilidade de oferecer suporte social? que foi conduzido por Suzana Morais Pellegrini,  psicóloga da Fundação de Assistência Social e Cidadania - FASC,  da Prefeitura de Porto Alegre.

    No primeiro momento do encontro o Pe. Luciano Gervasoni, Diretor do Abrigo, fez algumas orientações e comentou sobre o texto-base que foi criado pela Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência com o título ?Eles deixaram tudo e seguiram a Jesus!? para a formação vocacional e fez a entrega do material.

   Suzana propôs um exercício em equipe, distribuiu algumas frases e pediu que em grupo conversassem sobre a frase e sugeriu que fosse escolhido pelo grupo cinco palavras referentes a frase. Os grupos foram apresentando as palavras e comentando sobre as frases e ao final foi formado uma única frase ? Acolher com amor? e "sentimento, fé, coração, Deus, esperança, aprendizado, acreditar, respeito, possível, força e luta" Durante o encontro ela esclareceu algumas definições o que é suporte social, de como são construídas as relações pelas crianças e adolescentes e a tarefa importante dos profissionais na condução dessas relações no dia a dia.

  O papel do educador enquanto posição respeitosa e de confiança, incentivador das iniciativas e potencialidade, estimular a autonomia de acordo com as capacidades de cada um, a importância de garantir um espaço de reflexões, questionamentos e a construção dos desejos propicia que todos tenham um espaço de fala sempre os auxiliando a pensar sobre seus próprios problemas e possíveis soluções também fora um dos assuntos abordados.

   Ao encerrar, Suzana comentou alguns trechos de Winnicott, importante médico e psicanalista, ?Cada indivíduo está destinado a amadurecer, e isto significa: unificar-se e responder por um eu. (...) o que falha no processo é uma perturbação.  (...) amadurecimento não é sinônimo de progresso: amadurecer inclui a possibilidade de regredir a cada vez que a vida exige descanso, em momentos de sobrecarga e tensão.  As pessoas não tem exatamente a sua idade; em alguma medida elas têm todas as idades!?.

   O Abrigo João Paulo II - IPSDP propicia momentos de reflexão e de esclarecimento para que através do conhecimento, troca de experiências e reflexões seja possível aprimorar o serviço de acolhimento institucional.