Loading color scheme

A Alegria da Comunhão vivida pelos Leigos Calabrianos do Maranhão

Leigos Calabrianos

Leigos Calabrianos partilham a experiência de fé vivida neste tempo. A matéria foi enviada por Carmem Lúcia Araújo. Acompanhe!

No dia 08 de junho, votivo à São João Calábria, os Grupos de Leigos Calabrianos de São Luís/MA, se reuniram virtualmente, e fizeram um bonito momento de oração e Adoração Eucarística. Desenvolveram o Encontro do mês de junho, do Livro Sal da Terra e Luz do Mundo, cujo tema faz referência à criação e aos cuidados com a nossa casa comum.

Dos dias 09 a 11, os Leigos seguiram com a oração do terço, destacando os símbolos água, luz e pão. Culminaram com o Momento Santo Calabriano, que consistia na confecção de tapetes de Corpus Christi nos lares. Cada família preparou o seu tapete com muita singeleza e amor, conforme podemos perceber em alguns depoimentos:

"Eu tenho muitas ideias, mas não sou muito boa para criar. Pedi ajuda da minha filha. Disse para ela o que queria fazer, e com matéria prima do quintal do meu cunhado, fizemos sobre o meio ambiente. Um lago com os peixes, lembrando que a gente tem que cuidar do nosso mar, para que os nossos filhos e netos tenham com o que se alimentar e se divertir também, daqui há alguns anos". (Silvinha)

"Sobre o tapete que fizemos aqui em casa. Primeiro vimos a questão do ecossistema, colocando lua, estrela, árvores. Também uma família, juntamente com Jesus em um cartaz. Depois resolvi colocar o cálice e a hóstia, feito com tecidos que tinha em casa. Juntei tudo ao meu cantinho de oração e coloquei num banco e levei para fora esperando a passagem do Santíssimo. O santíssimo passou aqui na minha porta e eu fiquei muito emocionada. Porque a gente não está comungando, não está indo na nossa Igreja. Aquele momento para mim foi muito lindo, muito lindo mesmo. Com a ajuda de São João Calábria e da nossa Paróquia, Sagrado Coração de Jesus, tivemos esse momento emocionante, deste terço maravilhoso e da visita do Santíssimo as famílias aqui da Comunidade." (Ester)

"Eu estou maravilhada em ver tanta criatividade. Enquanto muitos diziam não, não sou capaz, eu não sei, eu não tenho nem ideia. Hoje, está aí! Olha, a presença de Deus na casa, na vida, nas mãos, no pensamento de cada um. Se nós pudéssemos estar juntinho, olhando. Que cada um pudesse passar na casa do outro e ver a beleza, a beleza mesmo, feito por cada um de nós. Eu só tenho que agradecer a Deus maravilhoso, que nos concedeu essa graça de poder hoje, dia de Corpus Christi, ter esse momento. Não fizemos na rua, não fizemos na Igreja, mas a Igreja doméstica foi felizarda em receber esse tapete feito pela nossa criatividade. Obrigada meu Deus por tudo, pela vida, pela família, pelos amigos, por todos." (Graça Veloso)

"Confesso que ao confeccionar o meu simples tapete, pela primeira vez em cima de uma mesa, fiquei emocionada. Ideias tive muitas, mas, não tenho dom de fazer determinadas coisas. E não é pensamento negativo. É porque cada um de nós tem dons pra determinadas coisas. Aqui eu contei com a ajuda da minha filha, que deu um toque todo especial, e saiu bem bonito para agradar a Deus, porque é para Ele que nós fizemos. Fizemos na nossa simplicidade, com muito carinho, sempre querendo agradar a Jesus Cristo, que merece tudo do bom e do melhor de cada um de nós. Porque tudo o que temos e somos, devemos a Ele. Fizemos aqui uma mistura dos símbolos do dia - Corpus Christi, e também um pouco da biodiversidade do Maranhão, que foi o tema trabalhado no dia da Adoração e nestes dias dessa semana, colocando os demais símbolos: a água, a luz, a Palavra de Deus, e o Pão que é o símbolo principal desta noite. É uma alegria muito grande poder viver este momento, partilhar com todos vocês que eu tenho uma grande família aqui em São Luis, e porque não dizer no Brasil todo, pois a Família Calabriana é bem grande. Esse nosso grupo de Leigos Calabrianos é muito especial, eu trago todos no coração. A gente aproveita e agradece a cada um que participou, que motivou, porque tudo isso nos fortalece, nos faz crescer espiritualmente, como pessoa. São momentos simples, pequenos gestos, mas que nos fazem muito grande." (Carmem Sá)

"Em nosso tapete foi usado tudo do nosso quintal. O chão é uma colcha de cama verde, com as folhas brancas do lado. Usei areia, pedras; tem um riozinho. Tudo pensando na natureza: as plantinhas todas com raízes; as mudas que fizemos estão aqui simbolizando o cuidar da natureza; as frutinhas de vinagreira. Até eu me surpreendi como desenhei o cálice, a hóstia e as letras que cortei sem desenhar; deu tudo perfeito, para mim está perfeito. Lembrei do símbolo da Profecia da Comunhão que é [o tema do XII Capítulo Geral] da Congregação e que estamos refletindo nestes encontros. Coloquei a camisa dobradinha, representando a nossa Congregação. Tem um solzinho que quase a gente não vê na foto, mas é isso, lembrando que tudo é de Deus". (Rosilene Reis)

"Quando a Graça pediu para fazer um tapete, eu logo pensei: como fazer? Eu não sei desenhar nem em pensamento. Eu disse: ‘Senhor, se tu queres que eu faça um tapete, ilumina a minha mente, Tu sabes que eu não sei desenhar’. Fui dormir pensando o que faria. Quando amanheceu, Deus foi dizendo como Ele queria. Fiz a natureza preservada e como ela está hoje. Depois, no centro a Eucaristia e alguns objetos de nossa cultura. Era para ter alguns símbolos do Círio [de Nazaré em Belém-PA], mas como o espaço é pequeno, não coloquei. As frases que escrevi, Deus me inspirou também. Só por Ti Jesus!" (Sandra Castro)

"No tapete falamos sobre a biodiversidade, e o que está acontecendo com o nosso planeta. Então veio este questionamento para mim: qual o meu papel como mulher e o que devo fazer? A resposta foi: conscientizar as pessoas de que tudo é importante para a nossa sobrevivência; cuidar da mãe terra, conservando tudo de bom que usufruímos, como a água, que é fundamental para nossa vida, os manguezais, não poluir os rios; tem muitos fatores que podemos ajudar." (Ana Maria)

"No meu tapete refleti sobre os produtos da cesta básica, lembrando o quanto está fazendo falta na mesa de tantas famílias que não tem o que comer. Das plantas: destruição da natureza, quantas queimadas, desmatamentos. Estamos quase ficando sem rios, nascentes. Temos poucos lugares verdejantes." (Natividade)

Foi muito importante a experiência vivida pela Família Calabriana, nesse momento em que toda a Igreja e seus segmentos se reinventam; na busca de conviver fraternalmente, de fortalecer o Carisma e, principalmente, de reavivar a fé em Deus Pai Providente.

Carmem Lúcia Araújo
Leiga Calabriana – São Luís - MA

Abaixo as fotos enviadas pelos membros.